Facebook rastreia usuário mesmo desligando localização

Em resposta ao Senado americano, empresa informou que rastreamento persiste

Facebook rastreia usuário mesmo desligando localização

Em novembro, dois senadores norte-americanos escreveram ao proeminente criador do Facebook, Mark Zuckerberg, fazendo uma importante pergunta sobre privacidade: o Facebook continua a rastrear a localização de seus usuários, mesmo quando eles disseram para não fazer isso?

A pergunta foi formulada depois que o Facebook realizou uma alteração, em setembro, na redação da política para coletar dados de localização descritos no blog da empresa em "Entendendo as atualizações nas configurações de localização do seu dispositivo".

Formulada no início de 2019 em resposta a mudanças na maneira como o Android 10 e o iOS 13 gerenciam as configurações de localização, a explicação do Facebook de como planejava gerenciar essa questão parecia confusa.

Apesar de afirmar:

"Você está no controle de quem vê sua localização no Facebook. Você pode controlar se o seu dispositivo compartilha informações precisas de localização com o Facebook por meio dos Serviços de Localização, uma configuração no seu telefone ou tablet".

A nova diretiva dizia ainda:

"Ainda podemos entender sua localização usando itens como check-ins, eventos e informações sobre sua conexão com a Internet."

Ou seja, mesmo com a localização desligada, o Facebook ainda poderia localizar você de outras formas.  Se por um lado ele permite que os usuários optem pelo cancelamento do rastreamento de localização por uma rota (GPS), por outro, restabelece grande parte do mesmo rastreamento de outras formas (eventos de software, endereços IP, redes Wi-Fi que você usa, relacionamentos, etc.).  Seria trocar o seis por meia dúzia.

Na semana passada, o Facebook respondeu aos senadores, confirmando as suspeitas aqui descritas.

O vice-diretor de privacidade da empresa, Rob Sherman, escreveu que o Facebook é capaz de deduzir a localização, com base no endereço IP do usuário e como eles se comportam na plataforma, mesmo que tenham desativado os "serviços de localização" no telefone. 

"Quando os serviços de localização estão desativados, o Facebook ainda pode entender a localização das pessoas usando informações que as pessoas compartilham através de suas atividades no Facebook ou através de endereços IP e outras conexões de rede que usam", escreveu Sherman.  E, acrescentou, "como parte do uso, as pessoas podem fornecer ao Facebook informações específicas sobre sua localização... Elas podem fazer check-in em um restaurante ou loja, ou aplicar uma etiqueta de localização em uma foto, ou seu amigo pode marcá-lo em uma postagem de check-in".

Ou seja, mesmo com a localização adesativada, o Facebok possui várias outras formas de identificar e cruzar informações para identificar onde você se encontra.  Tudo para lhe oferecer uma melhor "experiência" na web.

Ou receber os anúncios mais satisfatórios.