Testamos o Caixa Tem

A cruel tentativa de receber o Auxílio Emergencial

Testamos o Caixa Tem

Experimentamos a sofrida, dolorosa e cruel tentativa de receber o Auxílio Emergencial através do Caixa Tem.
O termo cruel não é um exagero.
Para começar, depois de ter realizado o cadastro em 09 de abril, recebemos apenas em 29 de abril o aviso de depósito na conta da Caixa.
Ao todo, foram 20 dias de espera para poder utilizar um auxílio que deveria ser emergencial. 20 dias onde fizemos as dolorosas consultas ao site da Caixa (auxilio.caixa.gov.br), várias vezes ao dia, a fim de verificar a tão sonhada liberação.
Mas a crueldade não parou aí.
Durante dois dias, 29 e 30 de abril, das 14 horas de um dia, às 14 horas do dia seguinte, tentamos ao todo 12 vezes o acesso ao aplicativo Caixa Tem, sem sucesso.  E, nas duas vezes que conseguimos acessar, as confusões, instabilidades e mensagens de "Não conseguimos" ditaram o funcionamento.
Apesar de o aplicativo parecer bastante prático e funcional, não conseguimos fazer nada, nem ver o saldo, nem pagar contas, nem sacar.
Para quem está na situação de "emergência" a crueldade é grande...
Antes de tudo, é importante dizer que reconhecemos bravamente todo o esforço que os profissionais de tecnologia da Caixa (ou os contratados para isso) realizaram para produzir uma solução em tempo recorde.
Para aqueles que trabalham com banco de dados, integração e código, estas tarefas, desta magnitude, são esforços sobre-humanos realizados pelos responsáveis pela criação do aplicativo e sua integração e consulta financeira.
Isto é importante dizer porque nos parece que todo o sacrifício e esforço sem sucesso que tivemos não estavam relacionados ao esforço e trabalho dos profissionais do outro lado, e sim a questões técnicas relacionadas à disponibilidade tecnológica de acessos, link e desempenho.
Fica claro e aparente que a disponibilidade de recursos alocados para tamanha demanda nacional foram vergonhosamente insuficientes ou limitados.
Não é admissível que um banco estatal, com os recursos que tem, não tenha disponibilizado toda a infraestrutura necessária para garantir a quantidade de acessos e a rapidez na consulta aos bancos de dados.
Mas vamos conferir agora nossa sina na tentativa de usar o Auxílio Emergencial.

INÍCIO: O CADASTRO
O Auxílio Emergencial, criado para ajudar os atingidos economicamente pela quarentena do Covid-19, foi aprovado no início de abril.
A princípio, seria um auxílio de irrisórios R$ 200,00 proposto pelo governo, mas que foi aumentado para R$ 600,00 pelo Congresso no momento de seu debate. 
As inscrições para o auxílio se iniciaram no dia 7 de abril.
Com a ajuda de uma pessoa conhecida, que se dispôs a participar desta cobertura, realizamos a inscrição em 9 de abril no site da Caixa.
A princípio tudo muito simples e rápido.  Não tivemos nenhum problema no site.  Acessamos o cadastro de forma rápida e ele foi realizado em alguns minutos.
Recebemos o primeiro código de acesso por SMS na noite do dia 9.

A partir daí, aguardamos os procedimentos que sabíamos que deveriam ocorrer: checagem dos dados, validação de CPF, etc. 
Apesar das indas e vindas da confusão de procedimentos que este processo desatou no país (exigência de CPF, regularização do Título de Eleitor, etc.), sabíamos que a demora de algum tempo seria normal, em razão de algum procedimento mínimo de fiscalização e controle.

COMEÇANDO O SOFRIMENTO: A ESPERA DE NOTÍCIAS
Entretanto, o nosso sofrimento estava apenas começando.
De 9 a 29 de abril foram 20 dias aguardando o momento de finalmente sacarmos o dinheiro do auxílio.
No dia 21 de abril verificamos que o status no site da Caixa mudou de "Em análise" para "Aprovado", e isso foi uma esperança para o nosso amigo, participante desta cobertura.
Entretanto, a mensagem de "Aprovado" ainda permaneceria outros 10 dias congelada no site da Caixa.

ALEGRIA: ENFIM A MENSAGEM DE VALOR DISPONÍVEL
Foi no dia 29 de abril, 20 dias depois de realizado o cadastro, que o status do Site mudou novamente, informando que o auxílio estava disponível na conta Caixa Tem, através da Poupança Social. Um novo vento de felicidade e expectativa soprou sobre o nosso amigo.

Finalmente ele poderia utilizar o valor do auxílio para ajudar a pagar algumas de suas continhas, que não paravam de chegar...
Agora, um novo caminho surgia:  instalar o aplicativo Caixa Tem e pagar as contas.

CAIXA TEM: O TERROR, O TERROR
Para o que deveria ser um grande esforço tecnológico da Caixa Econômica para acelerar e garantir o funcionamento do aplicativo, esta experiência revelou-se um grande fiasco.
Durante 24 horas seguidas (incluindo a madrugada), tentamos acessar, cadastrar e visualizar a aplicação Caixa Tem.  Todas sem sucesso, excetuando duas finais.
Obviamente que uma visão técnica de fora (a nossa) atenua as questões de dificuldade de acesso, etc.  Mas começamos a imaginar o que isto causaria psicologicamente aos mais desfavorecidos e com dificuldade de acesso digital neste país.
É evidente que, após algumas tentativas frustadas e sem sucesso de acesso, qualquer pessoa concluiria que a aplicação não funciona e iria no dia seguinte a uma agência bancária da Caixa sacar o seu dinheiro.  Isto é uma das explicações para as gigantescas filas em todo o país na porta das agências nos dias de pandemia...

O PRIMEIRO ACESSO
Após a instalação da aplicação, feita de forma rápida e sem problemas pelo Google Play, tivemos a grande surpresa de não conseguirmos conexão.
Uma mensagem bem prática informava que há uma grande quantidade de conexões no momento.  "Tente mais tarde"...
Imaginem isso para uma pessoa sem receber por não estar trabalhando durante 20 dias, e que precisa muito de dinheiro.  
À crueldade sucedeu o terror...
Ao conseguirmos uma primeira conexão aparece a mensagem "Sua vez está chegando".  Como asssim?  Vou morrer? Não tinha uma frase menos mórbida que esta para este momento de pandemia?  Ou algo mais positivo, como "Você será atendido em instantes"?  O terror começava.
Além disso, a aplicação exibia um torturante "círculo azul" que marcava o tempo de espera para ser atendido.  Ocorre que, além do círculo, há um countdown de 60 segundos para dar o refresh no "círculo azul".  Ou seja, o círculo azul de status da fila de espera era atualizado apenas de minuto em minuto.
Pior ainda, a cada minuto, o "círculo azul" andava apenas alguns milímetros na tela do celular, dando a certeza de que a fila demoraria vários minutos...
Com razão.  Vários minutos se passaram...
Na verdade, uma hora aguardando...

      

SE COCHILAR A CAIXA TE CHUTA DA FILA!

Mas eis que a tela aberta pelo celular entra em proteção e, rapidamente, ao deslizar o dedo para retornar à tela, aparece a mensagem de que "Você saiu da fila". Perdão.  Como?  Ah, não!  Não é possível!  Se a tela entrar em proteção você é simplesmente defenestrado da agência virtual!  Não pode cochilar um segundo!  É como se você estivesse dormindo diante dos incontáveis episódios de uma operadora de streaming, que, ao menos, pergunta se você ainda está aí...
Mas aqui, não.  Se você se esquecer, o aplictivo te passa a perna e bota a fila para andar.  É uma sucessão de crueldades desnecessárias!  É uma espécie de filtro, gincana, tem que completar as fases e ir pulando os obstáculos, incluindo ficar de olho vivo e não deixar o seu celular entrar na proteção de tela.  
É incrível que alguém tenha pensado em algo tão bizarro para inserir no App.  Mas isso está lá.

Experiência feita, desativamos as proteções, tempo de espera e tudo o mais que poderia fazer a Caixa te colocar pra fora da Agência Virtual novamente.  Fica a dica.
Pronto.  Agora vai.
Reiniciado o processo, lá vamos nós outra vez perseguindo o desfecho do torturante "círculo azul".
A cada vez que o "círculo azul" ia se aproximando do fim, para completar os seus sofridos 360 graus, o refresh mostrava uma performance na fila cada vez mais demorada, a ponto de quase não se mexer na tela.  
Lembrei-me daquelas aplicações de instalação, que demoram alguns segundos para chegar a 90% e depois ficam paradas aí...
Após várias tentativas, finalmente conseguimos acessar a aplicação e recebemos o código de ativação.

TENTANDO FAZER ALGO. 

Após recebermos o código de ativação, prosseguimos em um loop dentro da aplicação. Depois de validarmos o código, o sistema cadastrou o usuário e, ao fazermos logon, eramos direcionados para o cadastro novamente.  Após recadastrarmos, obviamente, informava que o CPF e usuário já existiam.  E assim recomeçávamos tudo de novo.

O que fazer? 
Reiniciar o sistema...
Fechamos a aplicação e começamos tudo novamente...
Já de madrugada, mais tentativas em vão.  Parecia que o aplicativo estava realmente bugado.

VAMOS LIGAR PAARA O SUPORTE!

Restava uma esperança: dois números de telefone para suporte.  Tentamos um. Sem sinal algum. Tentamos o outro. Nada completava.  Deve ser a hora.
Mais duas tentativas de abrir o aplicativo.  Nada. O mesmo loop.
Eram duas da manhã e resolvemos encerrar.
Novamente, das 6 da manhã do dia seguinte ao meio dia, o loop se repetia e os números de telefone não davam sinal algum. Simplesmente mudos.
Desistimos do suporte.  E já estávamos desistindo de resolver o Auxílio, quando, em uma última tentativa apareceu a tela de "Entrar".

ENTRAMOS... É SÓ ISSO MESMO

Conseguir entrar na aplicação foi um enorme sucesso.  
Mas antes de entrar, ainda tínhamos que preencher algumas coisas.  Uma delas era inserir um nome para o dispositivo.  Sim, você não leu errado...
Agora eu me pergunto, com toda a sinceridade deste mundo:  Pra quê ter que preencher um formulário para dizer o nome do dispositivo???  Qual a finalidade de complicar as coisas?  Não pode gerar um nome do dispositivo e número do celular?  Bom, tudo bem.  Vamos em frente...

Após quase um minuto para a tela de menu aparecer, ficamos até emocionados.  Finalmente nosso amigo vai receber o seu Auxílio, pensamos.
Por onde começar?  Pelo saldo, é claro, para vermos se o depósito foi realizado.  E... nada.
Bom, vamos tentar outras opções.  Nada.  Nada.  Nada.  Nada funciona!
Todas as opções da aplicação funcionam na base de uma interface de chat.  Você digita o solicitado e aguarda.  Infelizmente a única coisa que recebíamos de volta era "Desculpe, tivemos um problema.  Quer tentar de novo?"
As opções de sim e não estavam dispoiníveis.  Ao clicar sim, recebíamos e mesma mensagem.  E, pasmem, ao clicar em não, recebíamos... a mesma mensagem também.
A aplicação não conseguia nem sair da função que perguntava se queria sair.
Nenhuma opção estava disponível e nada funcionava.

        

24 horas depois, não conseguimos fazer nada no Caixa Tem, apesar do aplicativo se mostrar bastante funcional, prático e bonito.  Mas, no nosso caso, não funcionou nada.
Talvez tentemos novamente amanhã.
Não vamos na agência.
Fique em casa!